26 de outubro de 2011

Mônica Banderas

Ricardo

Com meus olhos
invadi sua privacidade.
Abri suas gavetas,
bordei meu nome
nas suas gravatas.
risquei suas cuecas com batom.
Suas pernas de calça
amarrei-as uma a uma
nas alças do meu sutiã.
Minhas calcinhas estão junto com minhas fronhas
Seu umbigo,
escondi com um chumaço de algodão.
Dos seus cinco dedos da mão esquerda
o do meio é meu.
Sou dona do seu sobrenome,
medidas, cardário,
cavidades, orifícios,
suores, odores, manifestações.
Denigro seu caráter frente ao espelho,
respiro seu ar e...
rasgo suas pernas, seus ombros,
para depois colar
parte por parte,
na minha agenda escolar...

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Isso que é posse de um amor né? Totalmente dona em todos os aspectos.
    Amei!
    Beijokas

    ResponderExcluir
  3. Parabéns, pelo prazer de amar na intensidade do absoluto, quer o ser, quer a posse da sua representação.
    Boa escrita

    ResponderExcluir